Apae oferece projeto de teatro de bonecos a alunos

Alunos da Apae de Paulínia estão participando há quatro meses de um projeto que envolve técnicas do teatro de bonecos.

O projeto é realizado com cerca de 60 alunos com idade superior a 16 anos e engloba artes cênicas, artes visuais e terapia ocupacional

No sábado passado, 9, eles apresentaram uma pequena cena de ” A natureza de Vladimir Ivanov” – Teatro de Luz Negra, e ” O Bando”, um espetáculo em processo, na Câmara Municipal de Paulínia, como parte do projeto.

“Centralizamos na educação do olhar desses alunos. Estamos preocupados com a educação do sensível e a formação estética de todos eles”, explicou a professora Denise Valarini. Segundo ela, a ideia é instrumentalizá-los para que eles possam se expressar melhor por meio da linguagem artísticas.

As apresentações na Câmara contaram com a participação de 15 alunos, mas todos que fazem parte do projeto tiveram envolvimento direto em todas as etapas, como a confecção dos bonecos. “Essas apresentações são muito importantes, mas representam apenas um pedaço do que o projeto pretende ser”, afirmou a professora.

Segundo ela, a proposta é ir além do tradicional, apresentando aos alunos uma nova linguagem. Através dele, é possível aprender ritmo, improvisação e ainda descobrir que o corpo pode fazer muitas coisas, como manipular os bonecos, que ganham vida a partir do movimento dos alunos.

De acordo com a professora, o projeto já vem apresentando resultados satisfatórios. “Muitos alunos começaram a se expressar e a se comunicar melhor”, relata. Além disso, o trabalho com a educação sensível permite ampliar a capacidade perceptiva dos participantes, fazendo com que percebem o mundo melhor e, por consequência, aprendam muito mais.

O projeto é desenvolvido em parceria com a Terapeuta Ocupacional, Pamela Pulga. Segundo ela, na área de TO estão sendo trabalhados aspectos como coordenação motora, destreza, atenção e concentração. “Trabalhamos em conjunto na elaboração dos bonecos e a arte de forma concreta”, explicou.

Para o próximo ano, a expectativa é construir um espetáculo de 40 minutos a 1 hora, integrando teatro de animação e dança contemporânea.