Biblioteca Municipal Valter Borges de Salles completa 46 anos

Inaugurada em 28 de fevereiro de 1974, a Biblioteca Municipal de Paulínia possui vasto acervo com mais de 12 mil títulos disponíveis para leitura 

POR CISSA TORELLO 
FOTOS: ARQUIVO PESSOAL 

Foi no ano de 1973 que o então prefeito Dr. Reinaldo Kalil, preocupado com o crescimento socioeconômico sem precedentes da cidade de Paulínia sentiu a necessidade da criação de uma Biblioteca Municipal para estimular o progresso cultural dos paulinenses. Apesar da Lei ter sido criada em março de 1973, a inauguração só ocorreu em 28 de fevereiro de 1974.  

Vinte anos se passaram e, durante este período, a Biblioteca funcionou sem denominação. Foi somente em 1994 que o então vereador Pedro Estevão de Oliveira criou um Projeto de Lei denominando como “Valter Borges de Salles” a Biblioteca Municipal, sendo sancionada por Edson Moura o prefeito da atualidade que estendeu o nome a Biblioteca Virtual.  

Hoje, a Biblioteca Municipal possui um acervo de 12 mil títulos e no local são oferecidos serviços de consultas, empréstimos, orientação à pesquisa e leitura.  

O acervo, constantemente atualizado, atende a faixas etárias distintas, estimulando a visita à Biblioteca Municipal – que possui obras de literatura brasileira e estrangeira, obras de referência, títulos de autoajuda e de várias áreas do conhecimento.  

Também possui um vasto acervo de livros infantis, espaço para leitura e acomodação para quem deseja realizar tarefas ou trabalhos relacionados à pesquisa.  

O Espaço sobrevive de doações. Quando os livros chegam são selecionados pelas funcionárias que se encarregam de conferir os títulos, em caso de livros já existentes é conferido se o livro doado está em melhor estado, se sim, ele é logo substituído, e o livro retirado da prateleira vai para doação.  

Os livros que nunca são procurados também são colocados para doação. Em média 30 pessoas passam por dia pelas dependências da Biblioteca. Um público que sempre frequenta o local são as mães que levam os filhos para estimular a leitura, vestibulandos que buscam os títulos recomendados para os vestibulares, alunos que fazem pesquisas e amantes da leitura de modo geral. 

Sobre Valter Borges de Salles 

A Biblioteca Municipal funcionou 20 anos sem ter um nome ou denominação específica. Foi em 1994 que o Vereador Pedro Estevão de Oliveira criou o Projeto de Lei denominando de Valter Borges de Salles a Biblioteca Municipal. A Lei foi sancionada pelo então prefeito Edson Moura.  

O ilustre senhor Valter havia falecido recentemente e a escolha se fez por ser ele um homem dinâmico, respeitado, com formação acadêmica, competente e culto. Era uma pessoa muito influente na cidade naquele período e a homenagem fez jus a iniciativa do vereador.  

Valter Borges de Salles foi um empreendedor no município de Paulínia. Foi ele quem empreendeu os loteamentos do bairro Jardim Itapoan, Nossa Senhora Aparecida e Alto dos Pinheiros. Era muito religioso e participava de várias pastorais da comunidade católica de Paulínia.  

Sua maior contribuição social para a cidade foi ser um dos fundadores e vice-presidente do Centro de Ação Comunitária, o extinto Caco. Na época ele defendia que era importante fazer a ação social, mas que dar cursos profissionalizantes era essencial para a população. Por isso, contribuiu juntamente com a primeira dama Neusa Maranho, esposa do prefeito Maranho na fundação do Caco.