Dia a dia e Psicologia Edição 46 (Agos/Set 2018)

Resiliência

Atualmente se fala muito na importância de sermos resilientes e da importância da resiliência na nossa saúde emocional. Mas afinal nós sabemos o que é resiliência? Ser resiliente é a capacidade que temos de nos adaptar a acontecimentos de vida perturbadores, trágicos, que geram stress, que nos tiram da nossa zona de conforto. Ser resiliente é ser flexível. Ser resiliente implica na utilização de um conjunto de características que nos permitem nos recuperar de experiências difíceis que nos desequilibram. A resiliência é a capacidade de recuperação de problemas e de dificuldades. De cair e se levantar. De se levantar maior do que quando caiu. De aprender com sucessos e insucessos e usar essa aprendizagem para a construção de uma vida melhor. A resiliência é a massa muscular psicológica. Ser resiliente não signifi ca “imunidade” à dor emocional, não significa que não fiquemos perturbados perante as dificuldades, mas sim a maneira como conseguimos nos recuperar da dor ou de um momento perturbador. O que faz com que umas pessoas sejam mais resilientes que outras? A resiliência é uma característica que se aperfeiçoa, se desenvolve e envolve pensamentos, emoções e comportamentos. Há pessoas que ao longo da sua vida desenvolveram mais esta característica do que outras, mas todos podemos aperfeiçoar e desenvolver esta capacidade. Como saber se somos resilientes ou não? Algumas características associadas à resiliência são: a capacidade para fazer planos realistas e determinar as etapas para alcançar objetivos, a autoconfiança nos seus recursos e competências, desenvolvimento de estratégias de comunicação assertiva e focadas na resolução de problemas e capacidade para controlar impulsos e emoções intensas. Não reagimos todos da mesma forma a acontecimentos traumáticos, negativos ou à adversidade e por isso é importante levar em conta a nossa experiência de vida e a nossas características quando identificamos estratégias para desenvolver a resiliência e quando as integramos na nossa visão de nós, dos outros e do mundo. Talvez você esteja se perguntando: será que alguém que não consegue administrar as emoções é capaz desenvolver resiliência? Sim, é perfeitamente possível. Seguem quatro dicas importantes: Desenvolva e treine seu foco de atenção – para onde vai sua energia quando você precisa resolver algo na vida? Observe seus pensamentos. Você está enxergando o problema ou a solução? Melhore sua capacidade de compreensão do outro, desenvolva empatia. Ponha em prática o conceito de 1/3: 1/3 depende de você, 1/3 depende do outro e 1/3 depende do acaso. E a última, e tão importante quantos as outras, é buscar auxílio de um psicólogo, que te ajudará a encontrar estratégias para lidar de forma mais saudável com mudanças e imprevistos. “Resiliência é ter uma alma-água, que se adapta ao co(r) po em que estiver, da melhor forma que puder.”