Em paz com o espelho

Há um ano, Isabella Motta decidiu mudar sua vida completamente quando finalmente definiu que iria realizar algo que tanto temeu e relutou: a cirurgia bariátrica

DA REDAÇÃO
FOTOS: EDUARDA CAMILO/ARQUIVO PESSOAL

Bella criou um perfil no Instagram, o @bariatricou_, que mostra toda a sua trajetória e tem o objetivo de inspirar outras pessoas e consequentemente manter-se motivada

Isabella Motta, estudante de Psicologia de apenas 21 anos, desde a infância sempre lutou contra a obesidade. A alimentação desregulada em conjunto à genética foram fatores importantes que só agravaram a situação com o passar dos anos.

Com o início da adolescência, as tentativas de emagrecer começaram e, apesar de obter alguns resultados tímidos, a falta de motivação e frustração sempre a faziam voltar para os antigos hábitos. Segundo Bella, sua autoestima era muito baixa. “Eu optava por passar despercebida. Evitava olhar para o espelho, pois não me admirava”, confessa a estudante.

A mudança que Bella buscava constantemente ia muito além da aparência física. A dificuldade em realizar tarefas do dia a dia, a falta de motivação e a baixa autoestima eram algumas das coisas que mais a incomodavam em relação a sua vida antiga.

A rotina cansativa de entrar e sair de dietas, começar e parar de realizar exercícios, obter resultados mínimos diante de esforços físicos e emocionais gigantescos, também era uma realidade para Bella, assim como para tantas outras mulheres. A frustração constante fez com que a estudante e principalmente sua família buscasse outras alternativas, como a cirurgia bariátrica, opção que Isabella sempre rejeitava.

A estudante de Psicologia de apenas 21 anos luta desde a infância contra a obesidade

O medo de se arrepender, de se tornar uma pessoa totalmente diferente, medo das dificuldades que poderiam surgir e principalmente o medo da cirurgia em si, do centro cirúrgico eram os empecilhos principais para que ela rejeitasse tanto a ideia.

Por coincidência do destino ou não, a ideia da cirurgia foi aparecendo com maior frequência em sua vida, em conversas e principalmente com pessoas ao seu redor.

Após seu pai tentar convencê-la, sem sucesso, a conhecer um cirurgião que fazia bariátrica (e era amigo de um amigo dele), ela descobriu que o mesmo médico tinha realizado a cirurgia de um amigo próximo. O que causou curiosidade na estudante, fazendo-a marcar uma consulta com o profissional. Mesmo sem ter total convicção do que estava fazendo, Isabella saiu de sua primeira consulta com todos os exames marcados. No retorno, foi com os resultados e já marcou a cirurgia.

“Tudo o que pensava estava ainda rodeado de algumas dúvidas, mas coloquei o meu coração na frente de todo o medo, e segui em frente com a decisão”, completa Isabella que seguia com a esperança de estar fazendo a decisão certa.

“Eu optava por passar despercebida. Evitava olhar para o espelho, pois não me admirava. (…) Hoje me sinto muito melhor em todos os quesitos. Me sinto outra pessoa, me amando mais a cada dia que passa”, compara Bella.

Decisão que hoje, um ano após a cirurgia, Bella afirma estar 100% satisfeita com sua escolha. Vestir o manequim 46, poder realizar normalmente atividades que antes não conseguia, olhar para o espelho e sorrir, conquistas que podem ser consideradas por muitos como banais, fazem toda a diferença para a jovem.

Além disso, Bella também criou um perfil no Instagram, @bariatricou_, que mostra toda a sua trajetória, ela diz ter o objetivo de inspirar outras pessoas e consequentemente manter-se motivada. “Eu acredito que todos nós devemos buscar nos amar, seja pela aceitação ou pela mudança”, afirma a jovem, que eliminou 45 quilos em um ano.

Este é só o começo desta nova jornada, com uma Isabella muito mais empoderada, confi ante e feliz. “No começo foi bem difícil, mas é tudo questão de tempo, aos poucos fui me adaptando. Hoje me sinto muito melhor em todos os quesitos. Me sinto outra pessoa, me amando mais a cada dia que passa”.

Vale ressaltar que a cirurgia bariátrica é uma intervenção cirúrgica irreversível e que precisa de avaliação individual e respaldo de profissionais especialistas da área da saúde que indicarão ou não a realização do procedimento para cada paciente.