Laço que faço Edição 44 (Fev/Mar 2018)

Vestidos de alta costura

Durante o mês de janeiro quem se interessou pode acompanhar pela mídia os desfiles e tendências apresentadas por estilistas de peso e marcas renomadas na Semana de Moda em Paris. Não dá para saber o que está em alta ou em baixa na moda festa, tudo depende da criatividade, da tendência de tecidos e padronagens que completam o que tem de melhor na alta costura. Dentro de todo este glamour convém lembrar que, alta costura vai muito além dos tapetes vermelhos, e é possível ser chique e moderno, e isso pode acontecer no dia a dia quando se aplica às peças do cotidiano o acabamento couture elaborados em tecidos nobres como o crepe de seda, tafetá e outros. Hoje em dia, encontramos estilistas lançando coleções, ou até mesmo atendimento personalizados que deixam muito a desejar no quesito caimento e acabamento, e estes quesitos podem colocar a perder todo prestígio de um profissional.

Nós da Laço que Faço prezamos, e muito, por estes quesitos citados, por isso levamos em consideração na hora de criar uma peça o estilo, o modelo para aquele corpo e uma boa modelagem acreditando que tudo isso são determinantes para uma peça ser impecável! Uma roupa feita sob medida para aquele tipo de corpo, que foi devidamente provado e ajustado, obedecendo as proporções, fica melhor no corpo que uma roupa comprada em loja de departamento, que foi feita seguindo padrão de tabela que nem sempre é a mesma de quem compra a roupa. As pessoas podem usar o mesmo número de manequim, mas podem ter medidas diferentes em alguma parte do corpo, o que significa que o ajuste é primordial para o bom caimento, ou sem dúvida optar por uma peça sob medida.