Arte da´cor Edição 44 (Fev/Mar 2018)

Memórias da infância na decoração

Peças confeccionadas em MDF enfeitam o ambiente e registram as fases do desenho e da alfabetização – um dos momentos mais interessantes da trajetória escolar de uma criança

Sobre crianças, uma coisa é certa: todas desenham! Com lápis, caneta, giz, no papel, no chão, na parede, na lousa… os seus primeiros traços são chamados pelos especialistas de garatujas e, conforme elas vão crescendo e amadurecendo, esses “rabiscos” vão evoluindo de acordo com o seu desenvolvimento motor. Observar cada fase do desenho e da escrita de uma criança pode ser um momento mágico – e muito prazeroso – de entendimento do seu universo e do que ela carrega dentro de si. A experiência na rede pública com arte-educação afinou o nosso olhar para esse momento da vida dos pequenos. Enxergamos com encantamento a beleza singela de um traçado infantil, seja a criança escrevendo o próprio nome quando em processo de alfabetização, seja empenhando toda a sua “arte” para registrar uma cena cotidiana.

Como sócia proprietária da loja “Cores de Maria Presentes e Decoração”, criamos uma linha de produtos que buscam eternizar esse momento da escrita infantil. Usando a matéria prima de nosso domínio, o MDF, reproduzimos a “assinatura” do seu filho na fase da alfabetização. São charmosos blocos com 30 cm X 10 cm que trazem o recorte do traçado da criança. Seguramente, a caligrafia irá mudar ao longo da vida, mas os pais terão a oportunidade de ter gravado para sempre o momento em que seu filho conquistou o domínio da escrita. De quebra, ainda levarão para casa uma linda peça para embelezar a residência. Outra linha que se mostrou encantadora pela beleza plástica e carregada de significados é a reprodução, também em MDF, dos desenhos dos pequenos. Em painéis medindo 30 cm X 25 cm essas pequenas obras primas de valor sentimental imensurável são produzidas para ficar expostas no quarto da criança ou nas paredes de um cômodo íntimo da residência. A vida passa em um piscar de olhos. Quando percebemos, nossos pequenos já são gente grande. Essas peças passam a ser a memória concreta da infância a decorar a sua casa.