Na Pele -Edição 52 (Outubro/2019)

Toxina Botulínica e Preenchimento: a combinação perfeita

Diariamente recebo pacientes em meu consultório que confundem as indicações e os tratamentos realizados com toxina botulínica, popularmente conhecida como Botox, e a técnica de preenchimento.

A principal indicação do uso da toxina botulínica está no tratamento das rugas/linhas de expressão que aparecem com maior frequência na região do músculo frontal (testa), na glabela (aquelas linhas verticais que se formam entre as sobrancelhas) e ao redor dos olhos, os famosos pés de galinha. A aplicação de toxina botulínica no músculo promove o relaxamento do mesmo e assim o rosto fica mais leve e suave sem aquele aspecto de cansaço.

O que muitos não sabem é que a toxina botulínica pode ser usada ainda para ajudar na definição do contorno facial, suavizar o aspecto da papada, minimizar as rugas do colo e pescoço.

A toxina botulínica também é usada para o tratamento da hiperidrose (suor excessivo) nas axilas e mãos, reduzindo significativamente a quantidade de suor por 7-8 meses. Além disso, é utilizada para o tratamento de alterações dermatológicas como rosácea (melhorando a vermelhidão), hidrosadenite, desidrose, herpes simples, cicatrizes hipertróficas (aquelas espessas, vermelhas e doloridas) e queloides.

No caso de um trauma na pele como por exemplo uma cicatriz cirúrgica, a toxina pode ser usada na região evitando a tensão excessiva no local melhorando o aspecto final da cicatriz.

Já o preenchimento, diferente da toxina botulínica, consiste em injetar substâncias biocompatíveis na pele para preencher, sustentar, volumizar e harmonizar. Ele é usado para ocupar os espaços vazios, atrair água para o local e também estimular o colágeno. Então, uma grande diferença é que a toxina botulínica é aplicada no músculo e o preenchedor é aplicado na pele.

As principais substâncias utilizadas na técnica de preenchimento são: ácido hialurônico, hidroxiapatita de cálcio e policaprolactona. Existem vários subtipos de ácido hialurônico que apresentam elasticidade e viscosidade diferentes entre si.

O conhecimento técnico de cada tipo é fundamental para se obter o resultado desejado, seja ele por exemplo para volume labial, harmonização facial, definição do mento (queixo) e preenchimento de olheira. Ele atrai água, hidrata o local e tem um potencial pequeno para estimular o colágeno.

A hidroxiapatita de cálcio (conhecida comercialmente como Radiesse) é uma substância que tem dupla função, já que pode preencher e também estimula a produção natural de colágeno, agindo na recuperação, firmeza e elasticidade da pele. No rosto está indicada para amenizar rugas e marcas de expressão moderadas e graves. Nas mãos, trata a perda de volume disfarçando os tendões e minimizando a flacidez da pele. Recomendada também para pescoço, colo, interno de braço e joelhos melhorando a flacidez dessas regiões.

A policaprolactona, Ellansé, ajuda a recuperar o volume perdido devido à diminuição natural da gordura do rosto (com exceção dos lábios e pálpebras, onde não deve ser aplicada). Melhora a textura da pele, deixando-a firme, sedosa e com aparência saudável. Usada também para aplicações ósseas criando pontos de sustentação. Pode dar 20 a 30% mais volume do que o gel de ácido hialurônico, por isso, é necessário cuidado na aplicação.

Para realizar o preenchimento de forma adequada, independentemente da substância utilizada, é necessário conhecer a anatomia detalhadamente e com profundidade para evitar complicações como a obstrução de artérias ou prejuízo dos nervos.

Quando associados sem exagero, toxina botulínica e preenchimento são a combinação perfeita para uma harmonização natural!