Paulínia apresenta balanço de 100 dias de Governo

Prefeitura luta para equilibrar orçamento comprometido por queda na arrecadação e mais de R$ 200 milhões de restos a pagar deixados pela antiga Administração

Em 1º de janeiro de 2017, Dixon Carvalho assumiu a Prefeitura Municipal de Paulínia com um orçamento comprometido por R$ 201 milhões de restos a pagar, R$ 57 milhões em dívidas com a Pauliprev e R$ 153 milhões em débitos previdenciários junto à Receita Federal.

De acordo com o secretário de Finanças e Administração, Silvio César Andrade, apesar de contar com alta arrecadação, a cidade de Paulínia deve passar por um período de dificuldades no âmbito financeiro. “A crise que afetou o país trouxe reflexos diretos em nossa arrecadação e será preciso rever a previsão orçamentária para 2017, pois creio que não alcançaremos os cerca de R$ 1,4 bilhão estipulados pela administração anterior. Para o mês de abril, por exemplo, a previsão de repasses de ICMS é de R$ 40 milhões, o que representa cerca de 50% a menos do que o valor recebido em março”, ressalta.

Ainda de acordo com Silvio, basta avaliar a relação entre receita e despesa dos primeiros três meses do ano, para vislumbrar o que vem pela frente. “Está claro que teremos que reduzir custos e enxugar gastos se quisermos honrar todos os compromissos”, ressalta.

Com 100 dias de Governo, a nova Administração conseguiu efetuar R$ 41 milhões em pagamentos atrasados, regularizando a situação de diversos fornecedores e prestadores de serviços. “Essa foi uma batalha que tivemos que travar com muita responsabilidade. Afinal, quando falamos de gestão pública estamos tratando de serviços prestados à população. Demos, então, prioridade a fornecedores de áreas como Saúde, Transporte, Educação e Serviços Publicos. Para que, assim, mesmo com todas as dificuldades, conseguíssemos manter os serviços essenciais em funcionamento”, explicou o secretário.

Além de cortar custos, o objetivo do Governo para os próximos meses é atrair novos investimentos e cobrar dívidas. “É hora também de nos mobilizarmos para receber daqueles que nos devem. Temos R$ 135 milhões na dívida ativa. Um Projeto de Lei já foi enviado à Câmara para que possamos garantir desconto e parcelar esses valores”, ressalta Silvio.

A Secretaria tenta ainda recuperar mais R$ 33 milhões em repasses do Fundo de Participação dos Municípios (FPM) que se encontram bloqueados.

Além dos desafios financeiros, a Prefeitura apresentou, nesta segunda-feira, dia 10, as principais ações realizadas nos primeiros 100 dias de Governo da nova Administração Municipal. Para saber mais acesse www.paulinia.sp.gov.br e clique no link  “100 DIAS” disponível no cabeçalho da página.