Paulínia ganha seu primeiro brechó chique

Peças de grife são selecionadas e revendidas a preços atraentes

Aliando o conceito de desapego, sustentabilidade e, principalmente, economia, os brechós chiques se multiplicam pelas principais cidades do Brasil, seguindo o costume comum na Europa e Estados Unidos

 

Texto: Silvânia Silva
Fotos: Damariz Galvez

O conceito de sustentabilidade hoje rege nossa sociedade, ávida por novidades, mas agora consciente de que os recursos são finitos. O consumo desenfreado traz inúmeros malefícios para o meio ambiente a afeta a saúde mental dos mais descontrolados. Aliando o conceito de desapego, sustentabilidade e, principalmente, economia, os brechós chiques se multiplicam pelas principais cidades do Brasil, seguindo o costume comum na Europa, por exemplo.

A cena de uma linda mulher fazendo compras em um brechó de Paris sempre foi elegante e vintage. “Então por que não seria chique também no Brasil?”. Partindo dessa premissa, a engenheira de formação, Débora Padovani, transformou o hobby em negócio e trouxe o conceito para Paulínia. Ela garante que está ganhando o interesse de clientes que até pouco tempo torciam o nariz para este tipo de compra no Brasil ou pessoas que agora têm a chance de obter itens das grifes mais cobiçadas, a preços convidativos.

“Nossa, que legal, adoro brechó!”, é a primeira frase que as clientes soltam na loja, segundo a proprietária do Classique Boutique Brechó, e completa “Brechó está na moda!”. As famosas de fora e as brasileiras popularizaram o conceito. E muita gente hoje tem acesso a peças de luxo que antes não tinham, graças ao fim do preconceito de usar roupa usada. Principalmente depois de vermos famosas como Julia Roberts e Angelina Jolie que já passaram por vários tapetes vermelhos com vestidos de segunda mão.

No Brasil temos os exemplos de Bruna Marquezine que doa roupas para brechó, Grazi Massafera que vai a premiações com vestidos comprados em brechós e até Danielle Winits, que abriu um com as amigas. Débora já morou nos Estados Unidos, Florianópolis e São Paulo e já rodou por vários países da Europa. O turismo de compras sempre foi um prazer para ela, que conquistou muitas peças-desejo pelo mundo.

Morando em Paulínia há três anos, sentiu a demanda na cidade e reuniu suas peças de roupas e acessórios que não usava mais, de sua família, amigas e vizinhas do condomínio e decidiu abriro  Classique Boutique com roupas de qualidade, durabilidade e bom gosto. “Incrível como isso funciona nas cidades mais evoluídas do mundo e, como Paulínia cresce a cada dia, muitas mulheres tinham essa vontade, e não encontravam um lugar legal para vender e comprar roupas.

A cliente de brechó é criativa, tem a mente mais aberta e sonha em obter peças de luxo por um preço baixo e, assim, estar sempre na moda”, ressalta Débora,que conta com a ajuda da amiga Ieda Ferrari no atendimento especial das clientes.

Atendimento especial: a loja conta com a simpatia e atenção de Ieda Ferrari

A empreendedora chama atenção para a compra das peças, que ela garante fazer com cuidado, seleção e, ainda, higienizar tudo antes de pôr à venda. “Importante lembrar que compro peças de marcas selecionadas e trabalhamos com consignação. Se desapegou e quer ganhar um dinheiro, procure a gente”, convida. A loja é repleta de jeans, blusas, casacos, vestidos, bolsas e sapatos. E agora está iniciando a venda de roupas infantis. Na Classique você encontra Ellus, Calvin Klein, Diesel, Fórum, LelisBlanc, MOB, Guess, Zoom, Carmim…e muito mais.