Prefeitura retoma posse dos estúdios cinematográficos

Firmando a parceria: André Maia (Ancine), Fausto Alves (diretor de Áudio Visual de Paulínia), Sorahia Segall (chefe de Gabinete da Secretaria do Audiovisual), João Batista Silva (Secretário do Audiovisual Minc), Janaina Padovani (secretária municipal de Cultura de Paulínia) e Yuri Queiroz (chefe do escritório regional -Brasília/Ancine)

Meta do prefeito Dixon Carvalho é fazer do Polo de Paulínia uma ferramenta de difusão cultural e geração de emprego

POR ASSESSORIA DE IMPRENSA
FOTOS: DIVULGAÇÃO/SEC. CULTURA

Recolocar Paulínia em lugar de destaque no cenário cultural do país sempre foi uma das prioridades do prefeito Dixon Carvalho. Entre as metas traçadas no início de 2017, estava a retomada das atividades do Polo Cinematográfico de Paulínia, que concentra um dos maiores investimentos na produção audiovisual brasileira. Após dar os primeiros passos, o projeto já tem sinal verde e corre com velocidade máxima. A primeira vitória aconteceu em janeiro deste ano quando a Justiça concedeu à Prefeitura uma liminar que autoriza a retomada de posse dos Estúdios Cinematográficos. Agora, a Administração busca parcerias e incentivos para colocar o projeto em prática. Com esse objetivo, explica o prefeito Dixon Carvalho, a secretária de Cultura, Janaína Padovani, esteve no Ministério da Cultura, em Brasília, para firmar parceria para a criação do programa “Paulínia + Cinema”. “O projeto injetará, até 2020, R$ 63 milhões na cidade. Deste valor, cerca de R$ 19 milhões serão aplicados já no segundo semestre de 2018, com o lançamento dos editais de fomento”, explica o prefeito.O projeto “Paulínia + Cinema” possibilitará a retomada das produções audiovisuais e comerciais no município, assim como a liberação dos Estúdios Cinematográficos da cidade, utilizando a estrutura organizacional que Paulínia já conta, como a Escola de Artes, a Produtora de Animação e Call-Works, os Estúdios de Paulínia e o Theatro Municipal. Ainda de acordo com o prefeito, o projeto contempla a realização de vários eventos, como Feira das Nações, Encenação da Paixão de Cristo nas escadarias do Theatro, Festival de Inverno de Música Popular Brasileira, Festival de Teatro, Festival de Mídia Eletrônica e Festival de Cinema e Novas Mídias. A reforma do Theatro Municipal também está prevista no projeto. “Em 2018, o Theatro completa 10 anos e nunca teve um plano de manutenção. Ele está precisando de reformas e estamos trabalhando nisso também”, garante Dixon.

Plano de manutenção: reforma do Theatro Municipal também está prevista no projeto

Mais cultura

Mesmo com todas as dificuldades enfrentadas, o trabalho desenvolvido pela Secretaria de Cultura merece destaque. No ano passado, por exemplo, os resultados foram expressivos. De acordo com a secretária Janaína Padovani, no intuito de fortalecer a base cultural da cidade, foram realizadas expressivas atividades com o teatro e com os cursos de difusão cultural. “Conseguimos dobrar a arrecadação de 2016 para 2017, aumentar em mais de 40% o número de alunos regularmente inscritos nos cursos de música e dança e, ainda reduzir em cerca de 75% os gastos públicos com a pasta”, finaliza Janaína.

Investimento: o programa “Paulínia + Cinema” vai injetar, até 2020, R$ 63 milhões na cidade. “Deste valor, cerca de R$ 19 milhões serão aplicados já no segundo semestre de 2018”, anuncia o prefeito Dixon